Panic in IC19

terça-feira, julho 19, 2011

Ó larilas!!! É que não me ocorre melhor palavra para a peripécia de hoje em pleno IC19. Em velocidades moderadas, mas em andamento cruzeiro e constante, pautado pela serenidade e tranquilidade bem ao estilo de Paulo Bento, eis que o som do rádio do meu sunrise-car é interrompido por um valente estrondo no pára-brisas, seguido de um objecto voador não identificado a sobrevoar o meu carro. Tratar-se-ia da chegada dos Ovnis à terra em pleno IC19? Já estou por tudo! Já não bastava o susto, proveniente de causa por identificar, ainda levo com buzinadelas e sinais de luzes dos condutores que vinham atrás. Apressadinhos! Não tenho outra hipótese senão encostar o carro à berma. E sair do carro para inspeccionar o problema? Outra vez: Ó larilas. O trânsito caótico e em alta velocidade começou a deixar-me em estado de nervos tal que não sabia se deveria sair mesmo com o colete. É que se alguém me batesse o próximo objecto voador não identificado a sobrevoar o IC19 seria eu e eu jeito de luzes laser pelo fluorescente do colete. Pois bem... tinha sido a grelha da parte da frente do carro a saltar do carro e embater no vidro do sunrise-car. Nem sei como é que não rachou o pára-brisas!!! Ligo para o meu homem: "Tenho uma má notícia para te dar. A grelha do carro foi-se à vida. Voou pelo IC19 fora e por pouco não partiu o vidro do carro". Tás bem? Seria a resposta a ouvir-se do lado de lá. Mas não, o sentido prático do meu homem falou mais alto. Deve ter pensado: "Se me estás a ligar é porque estás bem. Quero saber é do carro e onde está a grelha!". Pensado e dito que nisto os homens não brincam. É isto que eu adoro neles: sentido prático. "E a grelha? Dá para ires buscar?". Eu??? Ir buscar???? Oh não! "Mas eu não sei onde está a grelha. Sei lá se está no meio das faixas de rodagem!!! Não vou lá para o meio, senão sou atropelada". Ele deve ter ficado com peninha, pois se me acontecesse alguma coisa ia sentir-se culpado, mas mesmo assim... "Vê se está na berma e se estiver vê se podes ir buscar". Oh não! E o que foi que a Sunrise fez? Pois claro!!! Aprumou-se com o colete com todas as suas forças e boot pela berma do IC19 fora à procura da grelha. Estava a uns 150 metros atrás do carro, mas aqueles 150 metros pareceram-me quilómetros. Eu andava, andava, andava e parecia que nunca mais lá chegava e, em abono da verdade, temi voar por aquelas paragens ao jeito da música do Clemente, "Vais Partir Naquela Estrada", tal era o sopro do vento por ali. Sobrevivi!!!!! E trouxe comigo para casa a grelha do carro e o carro intacto... intacto, hmmm, quer dizer...

You Might Also Like

3 comentários

  1. No fundo, no fundo, o sentido prático deles acaba por dar muito jeito :-)

    ResponderEliminar
  2. Que aventura! O vento hoje estava insuportável! Eu fiquei com os meus cabelos presos na porta do carro quando a fechei. --'

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe