Do it yourself

sábado, dezembro 18, 2010

Por momentos pensei que estava num parque de diversões tais foram os gritos que se fizeram ouvir, não numa montanha russa, mas num avião. E este era dos verdadeiros! Que aterragem! Foi má, é verdade, mas ou eu já apanhei piores ou estava sob o efeito de uma substância qualquer, porque em vez de desatar aos gritos, desatei com risos. Eu, a pessoa que estava imediatamente à minha esquerda (um perfeito desconhecido), as restantes pessoas à minha direita, que eram três, e a fila de trás. Nunca se sabe quando é que vai acontecer um desastre, pensamos sempre que só acontecem aos outros e que não é desta vez, por um lado às vezes até é melhor pensar assim senão não damos um passo, mas a realidade é que não sabemos se somos nós os próximos. Tirando este detalhe da grande turbulência da aterragem, que acabou por verificar-se durante toda a viagem com imensos poços de ar, agora a comida nos voos da TAP/Portugália já não é servida a bordo, pelo menos foi o que aconteceu no meu voo. Tivemos de ser nós passageitos a transportar a nossa própria comida para dentro do avião. Até poderia dizer que é o passageiro que conduz o carro do catering para dentro do avião, o que teria a sua piada, mas não se chegou a tanto. Depois de passarmos a porta de embarque estavam duas hospedeiras a entregar uma caixinha, que na altura eu e outros passageiros pensámos: "Que queridos! Estão a oferecer um presentinho de Natal". Qual quê! Acarta burro a comida, que vais de graça e tudo de viagem. Sim! Que os bilhetes de avião são super baratiiiiiiiinhos. Quase que até se confunde com uma low cost. Portanto, o passageiro que ainda vai ser enfiado para dentro de um autocarro tipo sardinha em lata, que vai ter de segurar-se durante a viagem no bus, que leva as crianças pela mão ou bagagem pessoal, que está a agarrar nos casacos e sabe-se lá mais o que, ainda tem de arranjar espaço nas mãos (como se tivessemos muitas) para transportar a dita marmita. E chegados ao avião não temos onde colocar a marmita. Dirão vocês: "Abres a mesa, ora essa!!". Ora essa! Ora essa é que não podemos abri-la enquanto o avião não estiver em pleno voo, o que significa que a marmita terá de ir no colo. Portanto, os comissários e assistentes de bordo que tinham tanta, mas tanta coisa para fazer durante uma viagem - transportar os carrinhos com a comida, servir as bebidas, recolher os tabuleiros, apresentar as vendas a bordo e no início fazer a demonstração das regras de segurança - têm menos uma tarefa! Que bom!!!! Tadinhos, eles estavam sobrecarregados de trabalho, temos de compreender e ser solidários. Afinal, quem disse que ser comissário de bordo ou hospedeira é sinónimo de ser um empregado de mesa aéreo? Ninguém! E se ninguém disse, então não têm de fazer essa tarefa. Que faça o passageiro que pagou cerca de 300 euros por um bilhete para ir numa viagem com um atraso de cerca de duas horas e ainda ter de transportar a comida para dentro do avião. Viva ao conceito do it yourself.

You Might Also Like

3 comentários

  1. bem essa é totalmente ridícula sinceramente! enfim ainda dizem para "comprarmos" o que é nacional, ah pois é! Que alternativa nos deixam? bjs

    ResponderEliminar
  2. não fales do que não sabes! se tiraram as refeições a bordo NÃO foi decisão dos comissários e das assistentes.foram informados como qualquer passageiro. os comerciais das companhias aéreas tomam decisões sem consultar quem lida diariamente com o público. mas pensa um bocadinho, um comissário/assistente dá bandejas, recolhe bandejas,faz vendas, faz demonstrações de segurança, sorri quando entras, sorri quando sais, fala contigo quando tens medo da turbulência, zela pela tua segurança, zela pela segurança de todos. entre outras coisas.pensa um bocadinho. a mentalidade portuguesa é tão má, tão pequenina.

    ResponderEliminar
  3. Caro anónimo,

    não fale você do que não sabe, porque eu passei por essa experiência. Não foi ninguém que me contou.

    Está bem, vou pensar um bocadinho... hmmm... já pensei!
    "mas pensa um bocadinho, um comissário/assistente dá bandejas, recolhe bandejas,faz vendas, faz demonstrações de segurança, sorri quando entras, sorri quando sais, fala contigo quando tens medo da turbulência, zela pela tua segurança, zela pela segurança de todos". Irra! Que trabalheira dá sorrir! Era também só o que me faltava ir num voo com assistentes e comissários de trombas e mal educados!

    Sem mais assunto, bons voos!

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe