Dubrovnik - 3rd Day

domingo, agosto 01, 2010



Finalmente havia chegado o dia de conhecer Dubrovnik. A expectativa era alta. Quando comprei o pacote de férias lamentei não ter escolhido um hotel que ficasse na cidade ou pelo menos perto. Agora era o dia de tirar as dúvidas. Tinha feito uma má opção ter ficado em Šipan?
A primeira paragem de barco desde
Šipan até Dubrovnik era Lopud. Uma ilha muito mais turística do que aquela onde se encontrava o meu hotel. 15 minutos de barco separam as duas ilhas e é também aqui que entram vários turistas no barco rumo a Dubrovnik, como se pode ver na foto. As águas são cálidas e transparentes em todo o arquipélago das Elafiti.

Segunda paragem: Koločep. Outra ilha que pertence às Elafiti. Aqui vivem cerca de 150 pessoas em permanência. Das três ilhas - Šipan, Lopud e Koločep - considero esta última a menos atractiva.

Dubrovnik estava cada vez mais perto, faltavam 20 minutos para chegar e a expectativa era cada vez maior.

À entrada de Dubrovnik deparamo-nos com uma ponte muito ao estilo da nossa Vasco da Gama, claro que muito mais pequena. A partir daqui começamos a ver Dubrovnik em toda a sua imponência, mas a parte nova da cidade.


Dubrovnik é uma cidade muito procurada no Verão pelos turistas e são muitos os navios de cruzeiro que atracam no seu porto, provenientes de várias partes do mundo. Até com turistas australianos me cruzei nas ruas de Dubrovnik. Esta é uma cidade que prende o olhar logo à chegada, pois floresceu bem junto ao mar e ao longo da encosta. Desde o porto de Dubrovnik até ao centro da cidade velha são cerca de 2km, sendo que a melhor forma de se deslocar até lá é de bus. Os autocarros estão sempre lotados, mas é uma viagem muito curta, à volta de 5 minutos.

É aqui que começa a visita pelo centro histórico de Dubrovnik ou Grada Dubrovnika como eles próprios chamam. Estava curiosa e lá fui passear com os meus longos cabelos ao (pouco ou nenhum) vento.

"Braniteljima Dubrovnika kao znak trajnog sjećanja i vječne zahvalnosti" - Esta é uma das frases com que nos deparamos à chegada e significa qualquer coisa como: Em memória dos defensores de Dubronvik um eterno agradecimento. Em 1991 Dubrovnik também foi afectada pela guerra que ditou o desmembramento da Jusguslávia. Durante sete meses foi altamente bombardeada. Olhando para cidade parece que não sofreu um único arranhão.

Uma das entradas da cidade velha. A muralha é considerada património mundial pela UNESCO desde 1979.

Principal rua da cidade velha de Dubrovnik.

Fonte Onofrijeva construída em 1438.

Hmmm... uma das melhores coisas de Dubrovnik. Os gelados. Ao passearmos pelo centro histórico às vezes ficamos com a sensação que estamos em Itália, pois gelatarias e pizzarias é coisa que não falta ali. Achei imensa graça quando vi um gelado cujo nome do sabor se designava por Viagra. A cor azul diz tudo! Quanto aos efeitos... provem! Eu provei!


Igreja de S. Vlaho, que é o patrono de Dubrovnik, e a estátua de Orlando.

O campanário da cidade de Dubrovnik.

Quando olhei para esta loja parecia que estava a ver uma casa das fadas. A decoração original remete-nos para um mundo da fantasia. Infelizmente as roupas ficam um bocado a desejar, mas a montra era tão coquete que me apaixonei por aquele busto rendilhado.


Esta foi uma das malas que gostei mais naquela loja - http://www.michalnegrin.com

Catedral da cidade velha de Dubrovnik


Do centro histórico partem imensos barcos com turistas para navegar ao largo da baía da Dubrovnik. Lokrum é uma das ilhas mais próximas e é lá que se encontra uma praia muito reservada e destinada a naturistas.


Hmmm... hora da paparoca. Um manjar composto por salada de polvo, que eu devorei como se não houvesse amanhã, e gambas salteadas. Tudo delicioso! Se há coisa que não nos podemos queixar é da alimentação croata. Eles tratam-se bem.

Cutchi, cutchi! Que gatinho felpudo e gooooorrrrdo! Ainda lhe fiz umas festinhas de tão meiguinho que era. Vi imensos gatos na Croácia. Será que é o animal de culto? Não faço ideia, mas em Šipan também havia muitos.


Vista sobre o porto da cidade velha de Dubrovnik.

A visita a Dubrovnik estava prestes a terminar e o sol a bater nos seus telhados conferia uma melancolia reconfortante, de tanta serenidade que se podia vislumbrar numa cidade em que reina a agitação turística.


Regresso a Šipan. E agora? Preferia ter ficado em Dubrovnik em vez da ilha? Não! Dubrovnik é uma cidade que nos envolve e abraça pela sua história, mas Šipan é sem dúvida uma melhor opção para quem pretende relaxar. Infelizmente em redor do centro histórico não existe nenhuma praia e em Šipan encontramos tudo aquilo que procuramos numas férias: cenário idílico e paradisíaco, águas quentes e sossego.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Um óptimo relato de passeio, acompanhado de uma boa reportagem fotográfica.
    Adorei o manequim na montra, tão retro :)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe