Bairro Alto

sábado, maio 15, 2010

A noite tinha tudo para ser perfeita. Um jantar divertido com as gajas, a falar de gajos, de quem é o mais giro, interessante, com melhor corpo e com quem não nos importavámos de dar uma "voltinha". Risinhos, gargalhadas sonoras e boa disposição. Ah! E a comida estava muito boa também. Depois seguiu-se uma entrada calma pelas ruelas do Bairro Alto para beber uns copos enquanto punhamos a conversa em dia. Tudo perfeito, não fosse eu ter chegado ao local onde tinha deixado o carro estacionado e ele estar BLOQUEADO! Dá vontade de cortar os pulsos e atirar-se para o chão. Bloqueado????? Mas porque???? Estavam lá outros carros onde deixei o meu, não estava em cima de nenhuma passadeira, nem havia nenhum sinal a indicar estacionamento proibido. E ainda assim estava bloqueado!!!!!!! Tive de ligar para o número que a polícia deixou colado no vidro do carro e esperar, enquanto as pessoas passavam na rua e riam e gozavam de mim por ter o carro bloqueado. É surreal, mas é verídico. Se eu já acho que as pessoas são más por natureza, que o homem nasce mau e a sociedade é que educa, cada vez fico mais com essa certeza. Que as pessoas riem, divertem-se e ficam felizes por verem os outros chateados ou envolvidos em situações embaraçosas. 60€ foi o valor que tive de pagar - 30€ para desbloquear e 30€ de multa. A explicação da polícia para me terem bloqueado: "Estava a estorvar o trânsito". Então se estava a estorvar, porque razão não foi rebocado? Que eu saiba bloquear um carro não faz com que este ganhe asas e saia do sitio onde está para deixar de estorvar o trânsito, certo? Ou muito me engano, mas que eu saiba bloquear significa impedir que o carro saia do lugar. Mas afinal ele não estava a estorvar???? Pois...

You Might Also Like

2 comentários

  1. Gosto mto do blogue :) Estou a seguir

    ResponderEliminar
  2. Talvez esteja a exagerar. É obvio que não odeio os meus pais. Só que me irrita tanto, mas tanto quando me dizem que sim posso fazer uma determinada coisa e depois do nada mudam de ideias (e acredita, estas determinadas coisas são, a maior parte das vezes, as coisas mais pequenas do mundo tal como um almoço ou uma ida ao centro comercial)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe