What makes people fat?

domingo, setembro 06, 2009

Estou sentada no sofá a ver Oprah. Hoje o tema é sobre pessoas obesas que participaram num programa e perderam peso. Após o programa e pouco a pouco foram recuperando o peso que perderam. Já uma vez disse num post antigo, sou magra, peso cerca de 54kg. Nunca consegui perceber este drama da obesidade. Pessoas a tomar comprimidos para perder peso, beber chá, deixar de almoçar e beber uns batidos dietéticos para substituir a refeição, etc. Mas depois comem chocolates, bolos, batatas fritas, pão, massa, gorduras, sei lá... uma quantidade de coisas que nem vale a pensa mencionar. Acho uma certa graça quando me dizem: "Não como quase nada. Como o mesmo que tu". O mesmo que eu não devem comer de certeza, porque se comessem o mesmo que eu estavam magros. Eu como chocolates, mas não como todos os dias, como bolos, mas não é todos os dias, como batatas fritas, mas não é todos os dias, eu na verdade como imensa porcaria, mas não é todos os dias e tento compensar. Mas a questão também se prende com a quantidade e as pessoas que eu oiço dizerem que comem tanto ou menos do que eu não sabem mesmo do que estão a falar. Já vi por mais do que uma vez que perdem a noção. Realmente a primeira dose até pode ser igual, mas depois repetem a dose na mesma quantidade. Em tempos conheci uma rapariga que dizia que comia pouco. Ela era de facto muito gorda. Ao almoço, cheguei a observar algumas vezes, comia enormes taças de massa cheias de molho. Impossível não estar gordo desta maneira. Depois falam que é da natureza. "Eu como o mesmo que tu, mas tudo me faz engordar". Lamento, mas eu não acredito nisso. Quando eu noto que estou a ganhar uns quilinhos, quando vou almoçar ou jantar tento não encher o estômago. Deixo ficar-me com a sensação de que ainda era capaz de comer mais qualquer coisa. E tento aguentar-me assim pelo menos três horas até voltar a comer de novo. Quando sinto que já não preciso disso, retomo aos meus hábitos normais. Faz-me imensa confusão ver pessoas extremamente gordas. Não sou apologista daquela magreza que até fere a vista, mas tentar manter um peso médio é fundamental para a saúde. Aumenta a auto-estima. Meninas e meninos, fechem a boquinha e tentem variar na alimentação. É para o vosso bem.

You Might Also Like

12 comentários

  1. A maior parte das pessoas petisca demais pequenas porcarias e depois nem se lembra de as contabilizar, daí o "ah como tanto quanto tu e tu és magra bla bla"... Acima de tudo acho que devemos optar por um estilo de vida saudável.E claro de quando em vez uma porcaria não faz mal a ninguém,o problema é fazer disso um hábito mesmo.

    ResponderEliminar
  2. Já ouvi tantas vezes essa conversa "do como tanto como tu" que às vezes nem sei em que acreditar!

    E depois é vê-las e vê-los a repetir as refeições e a petiscar tudo e mais alguma coisa nos intervalos das mesmas!

    ResponderEliminar
  3. Fora os problemas hormonais, fechar a boquinha é o melhor remédio para não se engordar. Há que haver um equilíbrio: nem demais, nem de menos.
    KissKiss

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelo conselho

    ResponderEliminar
  5. Depende de tanta coisa!
    De facto, há pessoas que julgam que comem pouco e, na verdade, comem muito e mal. Mas a gordura ou magreza dependem também de outros factores como, por exemplo, o metabolismo, o sedentarismo e até a genética.
    Há, de facto, pessoas que comem pouco e tudo as faz engordar. E há aquelas que comem tudo e mais alguma e não passam do mesmo peso.
    Eu também peso 54kg como tu, no entanto, eu como tudo o que me aparece pela frente. Uso e abuso de chocolates e bolos. Qualquer prato de carne tem de ter sempre molhos á mistura. Como pizzas, hamburgueres e batatas fritas com fartura, nunca fiz uma dieta na vida, e mesmo assim nunca passo do mesmo peso. Mas lá está... a minha família nunca teve tendência para excesso de peso e, para além disso, toda a vida pratiquei exercício físico. Tudo isso conta, não é só a quantidade ou a qualidade daquilo que comemos.

    beijos

    ResponderEliminar
  6. Bom, eu percebo porque é que stressa as pessoas. Mas também acho que muitos se desmotivam na dieta porque o fazem sem recorrer a ajuda, baseado em conceitos completamente errados.Eu acho que era importante aprender a comer, não só quantidade mas qualidade. Conheço muitas pessoas que nem água bebem, só sumos a toda a hora, porque acham que por ter fruta não engorda.

    ResponderEliminar
  7. Ai não!!! A fruta tb tem açucar, ainda que da sua natureza. Comer fruta antes de ir deitar acho que é uma má política. Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Eu também sou magra (peso 52 kg), mas percebo o drama da obesidade. Tal como eu, geneticamente, tenho uma estrutura magra, há pessoas que, geneticamente, têm uma estrutura mais larga. Tal como eu, quando estou deprimida, emagreço (mesmo que mantenha a mesma alimentação), há pessoas que engordam (mesmo que mantenham a mesma alimentação). Depois, há pessoas com o metabolismo muito lento, ou seja, digerem a comida muito, muito lentamente, o que faz com o corpo absorva muitas gorduras. Também há pessoas com diabetes, que podem provocar o aumento de peso, assim como há pessoas com problemas cardíacos, de tensão, etc. E todas estas pessoas, gordas desde nascença, já sofreram tanta discriminação que só encontram na comida consolo emocional e não conseguem emagrecer de forma nenhuma. Muitos destes casos terminam em suicídio. Numa coisa concordamos: há pessoas que deviam fechar a boca, mas não é na altura de entrar, é na de sair.

    ResponderEliminar
  9. Olha, Clara, acho que realmente as unicas pessoas que percebem verdadeiramente o drama seja do que for é quem convive com ele. Naturalmente a obesidade é um tema complexo, assim como a magreza. Não são apenas as pessoas gordas que se sentem discriminadas, as magras tb e há termos mt agressivos para pessoas magras que não vou estar sequer a mencionar. Tambem é claro que o meu post não aborda toda a complexidade da obesidade, porque se assim fosse se calhar era preciso um blog inteiro para isso e com certeza há lugares mais especializados para falar e discutir a temática. Quanto à tua frase final. "Numa coisa concordamos: há pessoas que deviam fechar a boca, mas não é na altura de entrar, é na de sair", exacto, também concordo. Esta afirmação é válida para muita gente ;)Fica bem.

    ResponderEliminar
  10. Ahh. Eu não como muito. Ao pequeno almoço é só um rissol e um café.. Assim não se consegue mudar nada..:)

    beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Uma coisa é verdade: as pessoas podem emagrecer com o devido acompanhamento e força de vontade, mas as que têm narizes de papai tucano só lá vão com uma valente cirurgia...

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe