The importance of family

segunda-feira, agosto 03, 2009



Almoços de família podem ser do mais divertido que há até ao maior pesadelo. Na minha casa não há esse costume de pelo menos uma vez por semana todos se reunirem à mesa. A excepção é mesmo no Natal. Como cresci sem esse hábito, naturalmente nunca senti falta dele e acho ridículo aqueles que têm por hábito fazê-lo criticarem os que não fazem. Parece que só eles é que estão certos. Cada família tem os seus hábitos. Em tempos tive um namorado que prezava a família acima de tudo e estranhava esta maneira de ser da minha família. Por sua vez, eu estranhava o modus operandi da família dele. Havia laços familiares fortes, todos pareciam dar-se bem, era uma família muito matriarcal uma vez que a avó dele tinha mais de 10 filhos, todos casados e com mais do que um filho cada um. Por isso estão a ver, era uma multidão. A minha é mais pequena, mas nem por isso menos unida. Acho que somos é mais independentes uns dos outros e não andamos sempre agarrados à saia da mãezinha. Num homem não há pior que isto. Mas passando à frente... Apesar de não ter essa tradição dos fins-de-semana em família não desgosto e até acho bonito. É um pouco à Zé Prudêncio, mas aqueles piqueniques a fazer churrascadas, a beber vinho, a comer chouriço e salpicão acho do melhor. Até a musiquinha do Quim Barreiros vai bem. É a harmonia familiar no seu expoente máximo. E quem diz que a família está em queda não sabe o que fala. Acho que a familia é o único valor que ainda sobra de forma quase intacta. Já ninguém respeita casamentos ou a individualidade dos outros, mas ninguém suporta que se diga mal da sua família. Eles são a nossa base, o nosso pilar.

You Might Also Like

8 comentários

  1. Verdade! Sim senhora! :)

    A familia ainda é tudo!

    ResponderEliminar
  2. O conceito de família varia de pessoa para pessoa. Há quem ache importante casar e ter filhos e eu não acho. Talvez porque a minha família foi um pouco atípica...

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida! Cada vez mais tenho a certeza que a família é quem está lá sempre... incondicionalmente.



    Nos casos em que não está... devia estar!

    ResponderEliminar
  4. Ai o que eu gostava de me reunir com a minha familia todas as semanas. Se calhar é por não o fazer.


    E tens razão, a familia está sempre conosco.


    Beijokas

    ResponderEliminar
  5. Eu diria mesmo: é das poucas coisas que não se escolhe... :)

    ResponderEliminar
  6. o conceito de familia tem muito que se lhe diga. A minha tb é muito, demasiado até indepedente. Ás vezes não gosto, outras sim. Porque se há coisa que não gosto são familias-lapas, que não são capazes de dar um passo sem irem todos juntos. Aliás, detesto.

    ResponderEliminar
  7. Gata, por acaso sonho casar um dia. O viver junto já é uma forma de casamento, que diferença assinar dois ou três papéis? Não precisa de haver festa. Pode ser algo muito simples, pelo civil. Mas acho que a palavra casamento tem um peso na forma como está organizada a família. Pode ser impressão minha e de certeza que não é a regra, mas fico sempre com a sensação que as famílias mais estáveis são aquelas que envolvem casamento. Beijinhos grandes

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe