Birthday

quinta-feira, julho 30, 2009

Festas de aniversário. Há quem delire por elas e há quem se tranque no quarto só de pensar que está um ano mais velho. Curioso é certas mulheres (também já se vêem muitos homens) deixarem de mencionar a idade quando atingem um determinado patamar, normalmente os 45/50 anos. O que aterroriza tanto as pessoas quando fazem anos? O envelhecer? O ter rugas? O sentir que a vida está a passar entre as mãos. Quando somos jovens sentimos que temos toda uma vida à nossa frente para conquistar e alcançar os nossos sonhos, desejamos ser crescidos. Quando já o somos pedimos para que o tempo pare. Mas... não pára. "Tenho 50 anos, mas sinto-me como se tivesse 20". Expressão típica de muita gente. 50 anos ainda é uma pessoa nova, mas já não tem a mesma vitalidade que aos 20, é a lei da vida. Eu que tenho 26 anos já sinto que as minhas pernas não correm o que corriam aos 14!!! Que me desculpem, mas o que eu não gosto nada de ver são pessoas com 40 anos ou mais a vestirem-se como se tivessem 20 anos. Acho completamente despropositado. Cada coisa na sua respectiva idade. Acho que há tempos certos para experimentar, apesar de se dizer que nunca é tarde para dar asas à imaginação. Hoje vou a um aniversário de uma amiga do meu respectivo, que nem sei como se chama... ups! Acho que os aniversários revelam muito sobre cada um, se são extrovertidos, se são dados à rambóia, se são reservados. Já tive festas de vários tipos, até de ficar trancada no quarto sem vontade para nada. O último aniversário, por exemplo, foi uma porcaria. A minha festa de anos de sonho ainda não consegui ter. Gosto de festas com muita gente, diversão até cair para o lado de cansaço, música, risos e gargalhadas, saltos e alegria. Imagino um aniversário passado a bordo de um iate, de biquíni, a beber mojitos e caipirinhas a ouvir "Loco" dos Fun Lovin Criminals. Acho é que não deve haver vergonha em dizer a idade, todas elas são belas e têm um sabor diferente. Cotas que se escondem atrás de um número e estão prontinhas para passar a ferro, mais valia dizerem a verdade. É tanta falta de chá junta...



You Might Also Like

2 comentários

  1. E quem não liga à idade e por isso não gosta de se esforçar para lembrar? EX: umas duas gerações atrás e mais até, era muito natural nem se saber a data de nascimento!! Quanto mais celebrar aniversário. Era mesmo caso para dizer: O que é isso??

    Isso é moda pós-25 de Abril, veio para TODOS com a liberdade e com o CONSUMISMO que daí adveio. Hoje uma «festa de aniversário» não é mais em casa, com os pudins e sandes feitas pela mãe...

    São em espaços alugados ($$$) com palhaços ou outro tipo de entretenimento contratado (€€€€), com bolo comprado, decoração comprada, e sovenirs de aniversário (€€€) fora os presentes ($$$).

    Eu não costumo lembrar da minha idade, coisa que me acontece desde os 14 anos...

    Defendo que, como sociedade, deviamos recuar um século e deixar de dar importância fútil a tal coisa. Lembrem-se de mim, mostrem-me, mas sem futilidades...

    E nunca digam aquela horrível frase: "Este ano não houve dinheiro por isso já sabes: não esperes um grande presente!"

    Um bom presente é qualquer coisa que revele que nos conhecem. Não é necessariamente um bem, que se comprou em cima da hora numa loja e se mandou embrulhar... ou se desconhece o conteúdo!

    ResponderEliminar
  2. Até aos 20 anos fiz festas de aniversário algumas giríssimas! Depois fartei-me! :-)

    Não tenho problemas com somar anos, pois é sinal que estou viva, e segundo os meus amigos não aparento a minha verdadeira idade... MAS... irritam-me as ideias pre-concebidas que muita gentinha tem sobre como se devem vestir, comportar, bla bla bla, as mulheres (sim, que aos homens tudo é permitido!) a partir de uma 'certa' idade!!! A vida é minha, logo eu visto-me e comporto-me como eu quero! Não gostam??? Pois como diz uma amiga... "temos pena"! :-)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe