Meet the parents

segunda-feira, junho 15, 2009


Como eu me diverti tanto a ver este filme, o máximo! Mas não é sobre ele que vou falar, mas sim sobre o facto de já ter conhecido os pais do meu respectivo. Mais cedo ou mais tarde esse dia iria chegar e digo-vos que foi mais cedo que tarde. Estamos juntos ainda há poucos meses e a forma como os conheci foi a mais inesperada possível, pelo menos eu não contava que tivesse sido nesse dia. Já podia ter partilhado esta história mais cedo, mas por uma razão ou outra não aconteceu. Então quando foi que os conheci? Exactamente no dia em que cheguei de férias de Itália com o meu respectivo. Qual era o meu estado? De extremo cansaço e pouco apresentável, uma vez que já não tomava banho há mais de 24 horas e na noite anterior tinha dormido no chão, junto a uma máquina de bebidas, de uma estação de comboios, porque o aeroporto estava fechado. Foi neste estado lastimável que conheci os pais dele, quando eu tinha imaginado todo um cenário para esse momento. Um jantarinho em que a Sunrise pudesse escolher uma toilette apresentável e que estivesse perfumadinha. Mas não! Não foi nada disso! E ainda assim, a mãe dele achou-me bonita, não sei como, ainda me questiono!!! Mas foi o que o meu respectivo me contou à posteriori. Desse dia para cá voltei a vê-los mais duas vezes. A segunda foi quando o meu pai faleceu. Nesse dia, passámos pela casa do meu respectivo para ele ir buscar uma mala de roupa, para os dias que íamos estar fora em casa dos meus pais. A terceira vez foi este fim-de-semana. E que evolução! Até já fiquei a pernoitar na casa deles com eles lá!!!! Mas ao contrário do Robert de Niro que faz a vida num inferno ao Ben Stiller, o pai do meu respectivo não é nada assim. É muito pacato por sinal e até conversador, coisa rara nos homens. Já a mãe dele tem conversa para o dia todo e, como eu falo pelos cotovelos também, há sempre assunto para debater. É o que vale! :)

You Might Also Like

6 comentários

  1. Passo pra conhecer seu blog, e desejar boa semana

    bjsss

    aguardo sua visita :D

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Já me tinha questionado sobre a demora deste post! :) Mas acho que o fizeste na altura certa.
    É verdade que todos idealizamos este momento (ou pelo menos as mulheres fazem-no concerteza), a altura em que conhecemos os progenitores do nosso respectivo/a.
    Se queres que te diga já nem me lembro desse momento, acreditas? Já lá vão 5 anos... xiii, há quanto tempo o aturo! Lol!
    E é verdade o que dizes sobre as "sogras", elas têm sempre assunto de conversa, e eu que o diga que tenho duas "pseudo-sogras"! Sobre os sogros, e a relação com estes, acho que o caso torna-se mais problemático quando se trata de filhas, porque há sempre aquele escudo de protecção que os papás nunca desarmam para proteger as suas meninas dos lobos maus que por aí andam. Quer se tenha 5 ou 50 anos, para alguns pais somos sempre as eternas "meninas", e aqui falo com conhecimento de causa. bj

    ResponderEliminar
  3. Não só há conversa para todo o dia como também documentos comprometedores da minha pessoa aos quais tiveste acesso. Uma pessoa vai pôr o pão na mesa e quando chega a casa vê a sua vida exposta! :)

    ResponderEliminar
  4. Sandstorm, já vi que estiveste a ler todos os posts... :) Podia ter sido mais cedo, mas acho que agora fazia mais sentido, até porque foram 3 etapas diferentes. Mas outras se seguirão, com certeza. Beijocas

    ResponderEliminar
  5. Johnny, e que documentos!!!! O álbum de fotografias será brevemente olhado em pormenor novamente. Há sempre mais qualquer coisa a descobrir :) ehehe Big Kiss

    ResponderEliminar
  6. o sogro é um real pain in the ass...mas o genro também um xóninhas do pior...já a familia dele...

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe