Go out at night

quinta-feira, junho 11, 2009

Já há muito que não saía à noite para me divertir. As circunstâncias não têm sido as mais propícias a isso. Mas após ter passado um dia inteiro fechada em casa como uma freira, precisava mesmo de sair para apanhar ar ou outros ares. Antes de sair de casa ainda houve tempo para uma pequena 'tensãozita' com o meu respectivo, que até tinha razão. Passo a explicar. Ele esteve todo o dia a trabalhar enquanto eu estive em casa a jogar computador (e a escrever uns textos também, mas em casa) e quando ele chegou ao lar doce lar, mortinho de fome, contava que eu tivesse tido a atenção de fazer-lhe o jantar. Ele não é nada daqueles homens machistas em que o lugar da mulher é na cozinha, nada disso, até porque muitas vezes é ele quem está à frente do fogão de avental a fazer a comidinha :) Mas atendendo que ele chegava às onze da noite a casa e cansado, e uma vez que eu estive mais no relax, era o mínimo que eu podia ter feito. Ele não me disse nada, mas percebi que estava algo desapontado comigo. Tive de dar o braço a torcer e reconhecer que poderia ter tido esse cuidado. Não foi por mal, simplesmente, não sei... acho que já nem contava jantar. Resolvido esse 'problema', era hora de sair à noite. A escolha do noite foi o Blues, mas estava com alguma fila à porta e com um certo ambiente que não chamava nada a atenção a querer juntar-se ao grupo. Fomos para o Buddha. Estava praticamente vazio!!!! Dava para contar quantas pessoas lá estavam. Olhando de relance deviam estar umas 25 pessoas, onde se destacava um grupo de raparigas que estavam a festejar uma despedida de solteiro. "A noiva mais faíscante". Dizia a faixa da quase mulher casada. Eu e o meu respectivo limitamo-nos a estar à conversa e a namorar nos sofás. Mas eu, como gaja, tinha as 'antenas' a funcionar e apesar das poucas pessoas que lá estavam vi pelo menos duas pequenas aberrações. A 1ª foi uma rapariga de cabelos pretos com um visual totalmente demodé para sair à noite. Não gosto de catalogar ninguém, mas tinha um ar bimbo. Desculpem, mas foi a sensação que me deu. Toda aquela roupa era má. Mas mesmo assim acho que pior foi a 2ª situação. Uma outra rapariga que estava vestida com uma MICRO-SAIA de ganga em que se lhe viam as nádegas, conjugado com umas meias até ao joelho com laços, das que se usam por dentro das botas de cano alto. Um pavor!!!! O melhor é mesmo ficar por aqui...

You Might Also Like

6 comentários

  1. E nem referiste os lábios (mal) siliconizados da senhora da caixa...
    Palpita-me que as vossas antenas têm sempre cobertura de rede, ou seja, há sempre algo a comentar.

    ResponderEliminar
  2. Tem de se dar o desconto... Nem todas as meninas podem ter sentido de estilo... :p (que má lingua!)

    ResponderEliminar
  3. Lol, mrico-saia de ganga??? mas essa coisa ainda se usa?? Com meias com laços?? Ai ai..lol
    ao menos deu para te rir um bocado e namorar muitoooooooo
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  4. Sim Poupinhas, com laços! É verídico! Nem queria acreditar no que via... Eram meias de inverno, daquelas de se por por dentro das botas de cano alto, mas com sapatos e com uma micro-saia de Verão.

    ResponderEliminar
  5. Não sei como reparaste nessas coisas, nós mulheres não costumamos reparar e muito menos comentar.


    Heheheheheh!!!!!!!!!!


    Um Beijo

    ResponderEliminar
  6. Ai nao Solita? Olha que acho que isso é das coisas que nós mulheres mais fazemos. Até podemos não admitir, mas é verdade! As nossas "antenas" parecem "radares" lolol Beijoca

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Subscribe